Produtores de limão de São Paulo estiveram reunidos com a secretária da Agricultura MG, Ana Valentini, para apresentar projetos de investimento na produção de limão em Paraguaçu, no Sul de Minas. Depois de pesquisarem várias regiões, escolheram o Sul de Minas devido às boas condições climáticas da região.

Os produtores Carlos Andrade e Aline Andrade, pai e filha, adquiriram uma propriedade de 700 hectares (ha) e já plantaram 300 ha com limão. Os produtores exportam para vários países e buscam em Minas a expansão dos negócios.

Durante o encontro, reivindicaram junto à secretária uma atenção especial para que seja alterado o status fitossanitário de Minas Gerais, atualmente declarado pelo Ministério da Agricultura (Mapa) como Área sob Erradicação. Essa classificação impede a exportação de lima ácida (limão) produzida de forma orgânica.

Ana Valentini assegurou que todas as providências estão sendo tomadas pela Secretaria de Agricultura e pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), no sentido de que Minas continue sem ocorrência de cancro cítrico.

A secretária se comprometeu a encaminhar um documento ao Mapa reivindicando, não apenas para o Sul de Minas, mas para que todo o estado seja declarado com o status fitossanitário para cancro cítrico como Área Livre de Praga (ALP).

Ana Valentini destacou a importância de trazer mais investimentos para Minas. “Estamos preparados para receber novos investimentos em nosso setor. Para isso, vamos destravar todos os gargalos que possam existir para facilitar a vida de quem quer investir e gerar empregos em Minas. Neste caso, vamos propor ações junto ao Mapa para buscarmos atendimento às nossas reivindicações, pois no que depender do IMA e da Seapa será dado todo apoio necessário”, declarou.

Participaram do encontro o deputado estadual Antônio Carlos Arantes, o diretor geral do IMA Thales Fernandes, o prefeito de Paraguaçu, Netinho, além dos produtores e técnicos do IMA.

limao 2

Produção

A produção mineira de limão, no ano de 2017, foi de 48 mil toneladas, o que representou 3,7% da produção nacional. Naquele ano, o estado ocupou a quarta colocação do ranking brasileiro. A área cultivada foi de 2,7 mil hectares, com produtividade de 18 mil kg/ha. O Sul de Minas possui uma das maiores produtividades do estado, com cerca de 25 mil kg/ha e uma produção de 4,5 mil toneladas (9,3% da participação nacional) para uma área de 177 hectares.

O Norte de Minas sustentou-se na primeira colocação entre as principais regiões produtoras mineiras (66,7%), seguido do Triângulo Mineiro (16%), Sul de Minas (9,3%), Rio Doce (2,4%) e Central (1,6%). As demais regiões representaram 3,6%.

Os cinco principais municípios produtores são Matias Cardoso, Jaíba, Iturama, Botelhos e Janaúba. Juntos, representam 86,3% da produção estadual.

No ano passado, as exportações mineiras alcançaram US$1,6 milhão. Os principais países compradores foram Holanda, Reino Unido. Bélgica, Portugal e Emirados Árabes Unidos.